Bufete de Informaciones Especiales y Noticias
SINDICATO DOS SECURITÁRIOS DO ESTADO DE SÃN PAULO - BRASIL

Congresso da UGT reúne cerca de 3 mil trabalhadores

Rebanadas de Realidad - Sindicato dos Securitários, São Paulo, 31/07/07.- O Congresso de Fundação da UGT foi realizado entre 19 e 21 de julho, no Palácio do Anhembi, na capital Paulista, e contou com a participação maciça de sindicalistas de todo o Brasil e de outros países (Argentina, Bélgica, Chile, Espanha, Estados Unidos da América, França, Itália, Portugal entre outros).

Mesa de abertura do Congresso de Fundação da UGT, composta por lideranças sindicais nacionais e internacionais e autoridades políticas brasileiras.

Cerca de 3 mil trabalhadores acompanharam o evento que teve a ilustre condução do mestre de cerimônia Stepan Nercessian - ator, presidente do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversão do Rio de Janeiro (SATED) e da (Fundação Astrojildo Pereira), e vereador eleito pelo PPS na cidade do Rio de Janeiro.

Na abertura do Congresso, os sindicalistas José Raymundo da Silva, Joaquim dos Santos Andrade, Hércules Correia dos Reis, Roberto Morena, Luiz Tenório de Lima, Lyndolpho Silva, Clodsmith Riani, Laerte Teixeira da Costa, Antonio Carlos dos Reis e Enilson Simões de Moura, foram homenageados por configurarem a história do movimento sindical brasileiro. A sessão contou com a participação do governador do Estado de São Paulo, José Serra; do prefeito da cidade de SP, Gilberto Kassab; do ministro da Previdência, Luiz Marinho; do ministro-chefe da Secretária Geral da Presidência da República, Luiz Dulci; de Ricardo Patah, presidente da UGT; de Guy Ryder, secretário geral da Confederação Sindical Internacional; de representantes do Sindicato dos Securitários dos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Maranhão, Distrito Federal; e da Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Empresas de Crédito (Contec), dentre outras autoridades políticas e sindicais.

Governo Federal

Representando o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, o Ministro-Chefe da Secretária Geral da Presidência da República, Luiz Dulci, afirmou que a fusão das três centrais sindicais, CGT, CAT e SDS, resulta no fortalecimento do movimento sindical brasileiro, salientando que “a UGT fazer sentir o peso do assalariado nas decisões do rumo que a política e a economia vão tomar”, ressaltou.

O governador acrescentou que a UGT deverá valorizar as tradições do passado do movimento sindical com os olhos voltados para as principais tendências do futuro. “O desenvolvimento não deve ficar restrito apenas às forças de mercado”, finalizou.

Visão internacional

Ricardo Patah, presidente da UGT.

O britânico Guy Ryder, secretário geral da CSI (Confederação Sindical Internacional), disse estar convicto de que a nova central sindical desempenhará um papel decisivo no sindicalismo brasileiro. “O processo de unificação representado pela UGT será um passo muito importante para a modernização do movimento sindical brasileiro”.

O líder sindical citou da própria CSI, que é resultado da fusão em nível mundial entre a Confederação Internacional das Organizações Sindicais Livres (Ciosl) e a Confederação Mundial do Trabalho (CMT), afirmando que esse processo está ocorrendo em todo o mundo e é “uma exigência, em função das transformações que ocorreram com a globalização da economia”.

Ryder disse também que “é preciso mudar, modernizar nossas estruturas”, destacando que “daqui para a frente, CSI e UGT lutarão juntas”.

Declaração de Princípios

A Declaração de Princípios da UGT, aprovada pelos congressistas no segundo dia do evento, ressalta a idéia de unidade no movimento sindical e expressa a posição das entidades fundadoras contra o neoliberalismo, a corrupção e terá muito poder para negociar com o governo e o patronato”.

Para o ministro, o Governo Federal sempre dialogou com essas três centrais e com os sindicatos independentes que passam a integrar a UGT. “Nós vamos ouvi-los, aceitando as críticas, sem interferir na sua autonomia”, ressaltou Dulci.

O ministro afirmou ainda que foi sindicalista em sua juventude e, portanto, entende que esse é um momento histórico para o país. “Hoje, aqui, está nascendo um novo instrumento de luta dos trabalhadores brasileiros”, disse.

Dulci frisou que a classe trabalhadora é que vai decidir a direção do movimento sindical do País, e cumprimentou as centrais sindicais pela coragem de se unirem em uma única entidade em benefício do povo brasileiro.

Governo Estadual

O Governador do Estado de São Paulo, José Serra, foi ao Congresso prestigiar o nascimento da UGT. Serra disse que a discussão sindical não pode mais ficar restrita apenas à questão patrão e empregado, mas deve se abrir a novas propostas de desenvolvimento social. “A UGT será uma entidade menos político-partidária e mais política, no sentido de a exclusão. O documento foi aprovado pelos congressistas durante o evento, dia 20 de julho, e chama a atenção da sociedade para a importância da criação de um novo ciclo histórico no movimento sindical brasileiro. A Declaração manifesta a oposição da entidade ao neoliberalismo e enfatiza o combate à corrupção e aos processos de exclusão social, cultural, econômica e política.

Ricardo Patah, presidente da UGT, disse que o movimento sindical não pode apenas lutar pelo aumento de salários e pela redução das horas trabalhadas, quando tudo o que envolve a nova ordem econômica e social do país e do mundo tem conseqüências diretas na vida do trabalhador.

Principais objetivos da Declaração de Princípios da UGT

  • Conquistar um modelo de desenvolvimento que combine com o aprofundamento da democracia política e sua extensão à economia, à cultura, à informação em todas as esferas sociais;
  • Generalização da cidadania; a democratização do Estado;
  • Resgate progressista da política e das instituições democráticas;
  • Ética na política e no trato da coisa pública;
  • Crescimento econômico com distribuição de renda e geração de emprego com valorização do mundo do trabalho;
  • Modernização produtiva e justiça social;
  • Progresso da ciência e da tecnologia e integração soberana e competitiva da economia brasileira.
El presente material se publica en Rebanadas por gentileza de Léia Hirosse, Jornalista responsable do Departamento de Comunicação Sindicato dos Securitários SP / Web - Correo
Rebanadas de Realidad - Envíenos sus comentarios e informaciones